domingo, 27 de abril de 2008

Elysian Fields



Depois de ouvir "Elysian Fields", senti que os pubs ganharam uma nova existência, como se eles tivessem nascido antes para suas músicas do que elas para os climas solitários dos pubs. O fato é que Jennifer Charles, a dona dessa super voz, encarna um papel de anjo da guarda para os desamparados da noite...


Quem não tem vontade de assisti-los em meio a uma luz entrecortada? Irresistível....


Dêem uma olhada na introdução do site deles, ela fala por si:


"Another empty night playing for drunken fools. He wandered down the dusty stairs, down to the basement of the squalid club on East Houston Street. There she was. The little match girl, in a torn vintage eyelet dress with a black velvet bow. An old splintery broom in her hands. He must have heard that voice first, smokey, like warm honey. She was singing some forgotten song from the 1920s, as she dreamily and ineffectively tried to sweep the floor. He stood and watched her, this little anachronistic siren, as he cravenly sucked up the poison of yet another cigarette. Little did they know, but this was the beginning of a beautiful friendship. "



video


http://www.elysianmusic.com/

segunda-feira, 21 de abril de 2008

Across the universe

Nunca fui muito chegado em musicais, mas como tudo, sempre é possível encontrar uma exceção. "Across the universe" foi realmente uma surpresa para mim. Estava esperando de fato um filme diferente, com um belo figurino, mas com uma estorinha sem grandes revelações. Entretanto, como todo bom filme, ele me surpreendeu. O que vi foram letras belíssimas aliadas a um "concept art" genial. Essa união, abordando o tema do amor - visto por diversos ângulos, culmina em uma mensagem do tipo "life is beaultiful". Para aqueles que já assistiram "O fabuloso destino de Amelie Poulain", é um sentimento muito parecido. Sem dúvida é um filme capaz de transformar qualquer domingo chuvoso em uma bela manhã ensolarada de sábado.


video

domingo, 13 de abril de 2008

Io Non Ho Paura



Dirigido pelo italiano Gabriele Salvatores, o filme traz o cinema em toda a sua potência: fotografia primordial, ótimo roteiro e uma fantástica trilha sonora de Michael Galasso para fechar com chave de ouro. Dispensa uma sinopse...


http://www.imdb.com/title/tt0326977/


trailer:



video

A Perfect Circle



Para colocar um pouquinho de rock por aqui, "A Perfect Circle (often referred to as APC) is an alternative rock supergroup formed by guitarist Billy Howerdel. Howerdel had worked as a guitar tech for bands such as Nine Inch Nails, The Smashing Pumpkins, Fishbone and Tool. He played demos of his music to Tool's singer, Maynard James Keenan, who offered himself as vocalist should Howerdel ever form a band. Although initially hesitant about this, as he originally wanted a female vocalist, Howerdel eventually agreed and A Perfect Circle was formed in 1999. To distinguish himself from his persona with Tool, Keenan wore long wigs on his otherwise bald scalp for all of A Perfect Circle's music videos, photo shoots and live performances."




Judith, do ábum Mer de Noms


video

Redenção

Este mundo não está abandonado ao acaso, disso podemos ter a maior certeza a cada nova descoberta da ciência. Vivemos em meio a causas e efeitos. Causas e efeitos que, para muitos, acabam por se tornar uma prisão, um destino incontornável.

Diante disso, as religiões nos trazem diversos caminhos para a conquista da liberdade, como a vida após a morte e a fuga do círculo de reencarnação e morte. Mas onde entramos nesse processo? Qual é a capacidade que temos para mudar esse destino incontornável?

Na busca pela resposta, achei muito pertinente um trecho do livro "Sidarta" de Hermann Hesse. Ele faz parte de um diálogo entre Sidarta e Buda:

"Nessa doutrina, tudo fica completamente claro. Tudo é demonstrado. Tu mostras o mundo sob a forma de uma corrente perfeita, jamais e nenhures interrompida, corrente eterna, constituída de causas e efeitos. Nunca, em parte alguma, isso se percebeu com tamanha nitidez, nem tampouco foi exposto tão irrefutavelmente. Realmente, os corações de todos os brâmanes deverão vibrar de alegria, quando seus olhos enxergarem o cosmo através de tua doutrina, esse cosmo que forma um conjunto inteiriço, sem lacunas, límpido como cristal, não dependente nem do acaso nem dos deuses. Se o mundo é bom ou mau, se a vida em seus confins é sofrimento ou prazer, essa pergunta pode permanecer sem resposta. Pode ser que aquilo tenha pouca importância. Mas a unidade do mundo, o nexo existente entre todos os acontecimentos, o fato de todas as coisas, tanto as grandes como as pequenas, estarem incluídas no mesmo decorrer, na mesma lei das causas, do devir e do morrer - tudo isso, ó Augusto, ressalta luminosamnte na tua excelsa doutrina. Mas, nessa mesma doutrina, há um único lugar em que tal unidade e lógica das coisas estejam interrompidas. Por uma minúscula lacuna penetra na unidade desse mundo um elemento estranho, novo, que antes não existiu, que não pode ser mostrado nem comprovado. Refiro-me à tua tese acerca da possibilidade de superarmos o mundo e alcançarmos a redenção. Ora, essa pequníssima lacuna, essa pobrechazinha, basta para destruir e liquidar toda a unidade e eternidade da lei cósmica."

Se o mundo é de tal forma constituído por causas e efeitos, quem somos para, por nós mesmos, por nossas próprias ações, mudarmos toda essa lei universal para, assim, "superarmos o mundo e alcançarmos a redenção"? Para mim, uma vez evidenciado esse paradoxo, resta-nos apenas duas opções: ou negamos a ordem do universo, colocando-o numa espécie de anarquismo cosmológico onde o homem, pela sua capacidade racional, pode ordená-lo; ou então baixamos nossas pequenas cabeças e, com humildade, reconhecemos que a conquista dessa liberdade cabe ao arbítrio de Outrem.